6 de janeiro, Dia de Reis, em referência à narrativa bíblica sobre os Reis Magos que vieram do Oriente à procura do recém-nascido menino Jesus. Chamados de magos por serem homens sábios, foram convertidos ao longo da história em reis e desde terna infância, os conhecemos como os “três reis magos”.

Relata a história da humanidade que Jesus nasceu em Belém quando Herodes era rei de Israel Herodes o Grande, embora estrangeiro, graças à sua astúcia conseguiu tudo que queria dos romanos na palestina, inclusive o título de Rei de Israel. Era aliado dos poderosos, mas odiado pelos judeus por ser um estrangeiro (filho de mãe Idumeia), por isso a notícia de que nasceria um Rei o deixou transtornado, decidindo que nenhum pequenino sobreviveria.

A chegada dos Reis magos em Jerusalém perguntando pelo Rei dos Judeus, deixou Herodes preocupado. Começou tomar medidas para eliminar um possível concorrente. Ao perceber que não convencera os Reis Magos (ele tentou enganar os magos dizendo que também queria homenagear o Rei dos Judeus, mas não sabia como encontra-lo, solicitando aos três que, quando se deparassem com o recém-nascido que o avisassem). Herodes já havia decidido pelo pior, a matança dos inocentes, para evitar que o Rei dos Judeus sobrevivesse.  Como em relato no livro Mateus 2:1-12, por intervenção divina a família de Jesus fugiu para o Egito e lá permaneceu até a morte de Herodes o grande.

          Estrela Guia – O relato feito na Bíblia a respeito da visita dos magos ao recém-nascido Jesus é bem simples. A narrativa bíblica conta que Jesus nasceu em Belém. Com o nascimento de Cristo, alguns magos do Oriente viram uma estrela, a Estrela de Belém ou Estrela Guia e foram guiados por ela até o local onde estava o menino Jesus em sua manjedoura.

Sábios, os magos despistaram Herodes e partiram para Belém guiados pela estrela, encontrando a Sagrada Família, Maria, José e Jesus. Os magos, então, ofereceram ao Menino Jesus três presentes: incenso, mirra e ouro. Avisados por Deus em um sonho os Reis Magos, que na realidade não tinham título de nobreza, eram sábios e eruditos, homens  que estudavam as estrelas, após o encontro com o Menino Jesus retornaram para sua terra por outro caminho, para não correrem o risco de encontrarem o Rei Herodes e este ficar sabendo do paradeiro do Rei dos Judeus.

         Os Reis Magos – O primeiro registro histórico que mencionou o nome dos três magos remonta ao final do século V, um manuscrito conhecido como “Excerpta Latina Barbari”, o qual recebeu esse nome porque seu autor possuía um conhecimento básico de grego e latim, mas o autor desse manuscrito, no entanto, é desconhecido. Nem se sabe ao certo se eram apenas 3 os magos que foram ao encontro do Menino Jesus. Há relatos que dão conta que eram 12 os magos, mas Melquior, Gaspar e Baltasar, saídos de pontos diferentes, se encontraram ao seguir a Estrela de Belém e juntos enganaram Herodes e chegaram à manjedoura onde estava o Menino Jesus.

                                  Melquior de setenta anos, de cabelos e barbas brancas, tendo partido de Ur, terra dos Caldeus.

      Gaspar era moço, de vinte anos, robusto e partira de uma distante região montanhosa, perto do Mar Cáspio.

                                  Baltasar era mouro, de barba cerrada e com quarenta anos, partira do Golfo Pérsico, na Arábia Feliz.

O primeiro registro histórico que mencionou o nome dos três magos remonta ao final do século V, um manuscrito conhecido como “Excerpta Latina Barbari”, o qual recebeu esse nome porque seu autor possuía um conhecimento básico de grego e latim, mas o autor desse manuscrito, no entanto, é desconhecido. De toda forma, esse documento é importante exatamente por ser o primeiro a registrar o nome dos reis magos.

           Os presentes – Mirra: composto usado no embalsamamento, fazia referência ao sacrifício de Cristo e a sua ressurreição.

                       Ouro: representava a realeza de Jesus Cristo, ressaltando o fato que ele era o rei dos judeus.

                      Incenso: usado nos templos, era um presente exclusivo aos sacerdotes, reforçando, assim, a divindade de Cristo.

*Reza tradição que dia 6 de janeiro, data da chegada dos Reis Magos à presença do Menino Jesus é o dia para a troca de presentes, quando as famílias desmontam sua decoração (árvore e presépios) natalina, assim como faz a Beneficência Portuguesa

Confira algumas imagens da decoração natalina\2018 da SPB

Escreva um comentário

*

Your email address will not be published.

2016 © Todos os direitos reservados

Telefones :        (13) 2102-3434    /    Luto:    (13) 2102-3436