As doenças mais comuns no inverno

O inverno é o período mais propício às doenças respiratórias. Nesta época de baixas temperaturas, vírus e bactérias se espalham com mais facilidade, especialmente porque as pessoas procuram se proteger das intempéries buscando locais fechados e de pouca ventilação.

O pneumologista *Celso Maia Masta, alerta para as doenças mais comuns nessa época do ano, sintomas e cuidados básicos, necessários para manter o bom funcionamento do organismo evitando o ataque dos males do inverno.

As doenças mais comuns no inverno

Asma – Doença inflamatória caracterizada pela inflamação, inchaço e estreitamento dos brônquios, dificultando a passagem do ar. Substâncias ou produtos que irritam as vias aéreas como pó, produtos de limpeza, perfumes, etc., infecções virais, atividade física intensa e até fatores emocionais podem desencadear a doença. Os sintomas mais frequentes de Asma são: falta de ar, tosse, chiado na expiração e sensação de aperto no peito.

Bronquite – Pode ser aguda ou crônica. É Facilmente confundida com a asma, a bronquite é uma inflamação dos brônquios e bronquíolos, que provoca um inchaço na mucosa e dificulta a passagem do ar.

Sintomas: chiado à inspiração e expiração, principal característica da doença. A bronquite aguda está relacionada a quadros infecciosos como gripe enquanto a bronquite crônica é provocada, principalmente pelo o tabagismo. A tosse e a produção de secreção são evidentes.

Gripe – Infecção respiratória causada pelo vírus influenza tipos A e B, altamente contagiosa, tem no cansaço, febre por dois ou três dias, dores no corpo, de cabeça e na garganta, além de coriza e tosse como resfriado comum, seus principais sintomas.

É interessante observar a diferença entre gripe e resfriado.

Pneumonia – Na maioria dos casos a pneumonia é causada por bactérias, mas a doença também pode ser provocada por vírus e outros agentes. Tudo começa com um processo inflamatório nos pulmões, quando o espaço ocupado pelo ar é preenchido por líquido e pus. Isso dificulta o trabalho do oxigênio em atingir o sangue, ocasionando, inclusive, falta de ar. Os sintomas são febre alta, tosse com fortes dores no peito, catarro e dificuldade para respirar.

Resfriado comum – Trata-se de uma virose respiratória causada por uma variedade de rinovírus. Provoca manifestações semelhantes as da Gripe, mas em menores intensidade e duração.

Rinite alérgica – A doença é causada após o contato com poeira, mofo, produtos químicos, cigarro, cheiros fortes de origens diversas, mudanças de temperatura e umidade. A rinite tem evolução crônica, com períodos de melhora e piora. Os sintomas são espirros, coriza, coceira no nariz até obstrução nasal.

Sinusite – Trata-se de inflamação de vias respiratórias superiores, (seios paranasais), quase sempre associada a um processo infeccioso por vírus, bactéria ou fungo. A rinite também pode estar associada à alergia ou inalação de poluentes. A doença esta ligada a outras infecções das vias superiores como rinite, asma, bronquite, amigdalite e faringite.

Cuidados – No inverno é comum a busca por ambientes mais quentes, normalmente fechados e dotados de elementos propícios ao acúmulo de pó, como cobertores, tapetes, mantas, almofadas, cortinas. Nesse tipo de ambiente, com pouca ventilação a propagação de vírus e bactérias é inevitável, favorecendo a transmissão dessas doenças.

Evitar locais fechados, não ficar com roupa molhada, manter roupas de cama e de uso pessoal limpas, bem como o ambiente de trabalho ou moradia ventilado, beber bastante líquido, lavar frequentemente as mãos e as vacinas em dia, são dica simples e fáceis de serem praticadas para evitar as chamadas doenças de inverno.

*Dr. Celso Maia Masta, há 34 anos na Sociedade Portuguesa de Beneficência de Santos, é pneumologista, diretor administrativo do Setor de Medicina Nuclear na Beneficência Portuguesa, e integra também, o quadro de profissionais do Consultório de Especialidades do SUS.

2016 © Todos os direitos reservados

Telefones :        (13) 2102-3434    /    Luto:    (13) 2102-3436