Mais conhecido como “mosquito da dengue”, o Aedes aegypti, transmite outras doenças tão perigosas quanto a Dengue, entre elas, a Febre Amarela, o Zika Virus e a Chikungunya, que embora apresentem semelhanças em função dos sintomas parecidos, são distintas.

dengueA Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde (MS) ressaltam que as semelhanças entre a dengue, febre amarela e chikungunya podem confundir o diagnóstico de saúde da pessoa contaminada, por essa razão, devemos todos ficar atentos e principalmente, contribuir para  eliminar os criadouros do Aedes aegypti não apenas no verão, mas no ano inteiro.

Para colaborar com o trabalho de conscientização sobre a  responsabilidade de cada um na tentativa de eliminar o mosquito da dengue devido às doenças que ele transmite, lembramos que grande parte dos criadouros desse inimigo da saúde pública está dentro de casa, em um prato de planta com água, garrafas abertas, pneus velhos, caixa d’água sem tampa, ralos e qualquer recipiente com o mínimo de água parada (de uma tampa de garrafa à um tonel, passando por poças d’água, piscinas, etc…).

Também, seguindo sugestão da Organização Mundial da Saúde (OMS), chamamos atenção para as  características de cada uma dessas doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. No caso de apresentar alguns dos sintomas, procure imediatamente um médico. O tempo médio do ciclo é de 5 a 7 dias. Geralmente os sintomas se manifestam a partir do 3° dia depois da picada do mosquito.

Dengue –  A mais conhecida das doenças mencionadas, a dengue possui quatro sorotipos (vírus diferentes),   daí os termos “dengue tipo 1, 2, 3 e 4”.  Ela se manifesta de duas formas, pode ser caracterizada por dengue clássica e dengue hemorrágica; independentemente do tipo ela se manifesta por sintomas muito similares aos do zika vírus. No caso da dengue a febre é muito alta e as dores nas articulações muito fortes, quase insuportáveis em alguns casos. Além desses sintomas, tem náuseas e vômitos, manchas e coceira na pele.

Na forma clássica, os sintomas são mais leves e depois do quinto dia, a febre começa a desaparecer e, no décimo, somem os demais sintomas:

Febre alta com início súbito
Forte dor de cabeça
Dor atrás dos olhos (por trás dos globos oculares)
Perda do paladar e apetite.
Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores.
Náuseas e vômitos·
Tonturas.
Extremo cansaço.
Moleza e dor no corpo.
Muitas dores nos ossos e articulações.

– Na forma hemorrágica –  os sintomas são os mesmos da dengue comum e a diferença surge quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alerta, com agravamento rápido, com sinais de insuficiência circulatória, podendo levar a pessoa à morte em até 24 horas.  Os sinais de alerta:

Dores abdominais forte e contínuas;
Vômitos persistentes;
Pele pálida, fria e úmida;
Sangramento pelo nariz, boca e gengivas;
Manchas vermelhas na pele;
Sonolência, agitação e confusão mental;
Sede excessiva e boca seca;
Pulso rápido e fraco;
Perda de consciência;

O Ministério da Saúde alerta  que na dengue hemorrágica o quadro da pessoa infectada é grave necessitando de imediata atenção médica, pois pode ser fatal. De acordo com estatísticas do Ministério da Saúde, cerca de 5% das pessoas com dengue hemorrágica morrem.

Febre amarela urbana – A febre amarela urbana é provocada por um vírus transmitido pela picada do Aedes aegypti. Após o contágio, os primeiros sintomas são febre alta (acima de 40º), perda de apetite, dores de cabeça, dor atrás dos olhos, dores musculares, principalmente nas costas, vômito e hemorragia. Orienta a Organização Mundial da Saúde que, os sintomas geralmente melhoram ao fim de cinco dias, sendo que em algumas pessoas, no prazo de um dia após os sintomas melhorarem, a doença pode se agravar com a volta da febre, juntamente com dores abdominais e lesões no fígado provocando icterícia (alteração causada pelo aumento da bilirrubina no sangue, pigmento amarelo produzido pelo organismo), ocasionando a cor amarelada na pele e nas escleróticas oculares (o branco do olho).

A febre amarela infecta seres humanos e animais silvestres que servem de reservatório do vírus e a transmissão pode se iniciar através da transmissão dos animais para os humanos, tendo sempre o mosquito como vetor.

Felizmente existe vacina para a doença. Ela é administrada gratuitamente nos postos de saúde ou em clínicas particulares e a orientação é para quem reside nas áreas afetadas pela doença, que tomem a vacina. Quem pretende viajar para áreas com grande ocorrência da febre amarela tome a vacina pelo menos 10 dias antes da viagem.

Todos  devem ficar atentos, pois ao picar o ser humano, o Aedes aegypti causa sintomas muito semelhantes aos da dengue, o que contribui para que essa duas enfermidades sejam tão confundidas.

Chikungunya- A febre chikungunya é uma doença provocada por um vírus, que apresenta sintomas semelhantes aos da dengue, como febre alta, náuseas, dores pelo corpo, dor de cabeça, cansaço, manchas avermelhadas pelo corpo e erupções cutâneas em forma de brotoejas de cor púrpura que coçam muito e as dores são consideradas insuportáveis. Felizmente, a febre chicungunha não provoca complicações hemorrágicas, sendo, portanto, uma infecção menos fatal que a dengue.

Os primeiros sintomas da febre Chikungunya surgem 3 ou 7 dias após a picada.  A diferença das outras três doenças (dengue, febre amarela e zika vírus) é que os gânglios linfáticos se inflamam e pode sangrar o nariz. O mal desse vírus é que seus efeitos duram meses, inclusive pode se converter em dores crônicas nas articulações.

Essa febre  pode ser transmitida pelo mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus, os mesmos que transmitem o vírus da dengue e da febre amarela. Pelos sintomas semelhantes à dengue (também provoca dores articulares e febre alta) causa confusão. A transmissão através da picada de mosquito é responsável por praticamente todos os casos de febre chikungunya. Porém, orienta o Ministério da Saúde que há outras formas possíveis de se contaminar com o vírus. Uma delas é a chamada transmissão vertical, que ocorre da mãe para o bebê durante o parto. Até onde se sabe, o vírus Chikungunya não causa má-formações no feto, pois, aparentemente, segundo o Ministério da Saúde, a transmissão não ocorre dentro útero, mas sim no momento do parto, seja ele natural ou por cesariana. Outra forma possível de contaminação é através do contato com sangue de pacientes infectados. Acidentes com agulhas contaminadas ou transfusão de sangue são vias potenciais. O transplante de órgãos também é forma possível de transmissão do vírus.

Zika vírus –  Os infectados desenvolvem febre baixa, dores e manchas no corpo, mal estar geral, artrite nas mãos e pés, em alguns casos, diarréia e dor nos olhos. Outro sintoma e conjuntivite, o que não acontece nas outras doenças.  Estes sintomas costumam desaparecer  em 7 dias. Segundo o Ministério da Saúde, não deixa de ser uma  uma doença leve em adultos quando não se trata de uma gestante. Neste caso, os efeitos podem recair no feto. Estuda-se a relação entre o aumento de bebês com microcefalia nas áreas afetadas pelo zika vírus.

Atenção: ao apresentar alguns dos sintomas relacionados à essas doenças, procure  um médico

cartaz

(Fontes e referências: Organização Mundial da Saúde e Ministério da Saúde)

Escreva um comentário

*

Your email address will not be published.

2016 © Todos os direitos reservados

Telefones :        (13) 2102-3434    /    Luto:    (13) 2102-3436