Funcionando como filtros altamente seletivos, os rins são responsáveis por limpar o sangue das impurezas do corpo e quando não funcionam corretamente, as impurezas se acumulam e a partir de então começam os problemas. Como todos os líquidos corporais passam pelo sistema renal, seu bom ou mau desempenho vai determinar condições de vida, saudável ou não das pessoas, lembrando que doenças renais, atingem inclusive, ossos e dentes.

Dr. BrunoAssim, devemos cuidar da saúde dos rins porque, além da função vital de eliminar substâncias tóxicas, desempenham outras funções, lembrando que o desconhecimento dos sintomas que indicam doenças renais faz com que boa parte das pessoas não procure atendimento médico para uma avaliação. Como as doenças renais não provocam sintomas relevantes, especialmente em fase inicial, quando o fazem, as pessoas não sabem reconhecê-los.

O nefrologista Bruno Vieira (fotos) ressalta que o estilo de vida é um dos determinantes para que se tenha rins saudáveis ou não, colocando em evidência que a obesidade é um dos fatores de risco de doença renal crônica. O especialista ressalta que entre as doenças mais perigosas para os rins estão a diabetes e a hipertensão, principalmente por serem, em geral, doenças silenciosas.

É importante que diabetes e hipertensão sejam diagnosticadas, como toda e qualquer doença, logo no início para que a capacidade renal não seja afetada. A obesidade é outro fator que aumenta o risco de desenvolvimento de outras causas da doença renal crônica e entre esses fatores estão a diabetes e a hipertensão arterial (pressão alta). Por isso hábitos saudáveis que incluem alimentação balanceada e prática de exercícios, são essenciais na prevenção da obesidade e de doenças renais, lembrando que a hidratação deve ocupar lugar de destaque entre esses hábitos. Sem hidratação os rins podem perder a capacidade de filtrar o sangue”.

O médico ressalta que qualquer doença que afete os vasos sanguíneos, incluindo diabetes e hipertensão arterial pode afetar a função renal e que doenças e infecções também apresentam risco de provocar distúrbio renal. Muitas são as doenças que causam lesão renal progressiva, sendo as mais comuns: Nefrites: pielonefrite (infecção do rim); Glomerulonefrite, que é a inflamação do rim; Nefrolitíase, conhecida como pedra ou cálculo no rim; Hipertensão ou pressão alta, causada pela elevada concentração de sais no sangue, retenção de líquidos ou estreitamento de vasos; Diabetes mellitus, causada pelo elevado teor de glicose no sangue e Rins policísticos, que são cistos renais hereditários.

Prevenção – A Sociedade Brasileira de Nefrologia elenca itens que considera um bom início para a prevenção da Doença Renal Crônica (DRC), identificando-os como Regra de Ouro:

1 -Mantenha-se em forma. Pratique atividade física regularmente.
2 – Mantenha sua alimentação saudável. Evite sobrepeso.
3 – Mantenha-se hidratado tomando líquidos.
4 – Controle o nível de açúcar no sangue (glicemia) para evitar diabetes.
5 – Monitore sua pressão alta.
6 – Consulte um médico regularmente para acompanhar a situação dos seus rins.
7 – Não fume. Evite bebidas alcóolicas.
8 – Não tome remédios sem orientação médica.

O Departamento de Epidemiologia e Prevenção de Doença Renal da Sociedade Brasileira de Nefrologia recomenda que as pessoas façam um teste rápido para saber o nível de risco para doença renal, respondendo a sete questões básicas:

1 -Você está acima do peso?
2 -Você tem pressão alta?
3 -Voce sobre de diabetes mellitus?
4 – Há pessoas com doença renal crônica na sua família?
5 – Você fuma?
6 – Você tem mais de 50 anos?
7 – Você tem problema no coração ou nas veias (vasos) das pernas – doença cardiovascular?

A entidade recomenda: “Se você respondeu SIM para uma dessas perguntas, consulte um médico. Você precisa dosar a creatina no sangue e fazer exame de urina!”

Sintomas – Muitas doenças renais quase não apresentam sintomas nas suas fases iniciais. Consideravel parcela de pacientes só descobre ser portador de doença renal em estágios avançados, quando já não há muito o que fazer para salvar a função dos rins. Por isso recomenda o especialista Bruno Vieira que a melhor maneira de identificar precocemente as doenças renais é através de exames de sangue e urina. Os sintomas mais frequentes são:

1 – Inchaços frequentes, principalmente de pernas e pés;
2 – Pouca urina e ardor à micção;
3 – Urina em excesso pode sinalizar diabetes;
4 – Alterações no aspecto da urina: cor de coca-cola, sanguinolenta, espumosa;
5 – Aumento de pressão arterial, náuseas e vômitos;
6 – Boca seca ou gosmenta e hálito cetônico;
7 – Palidez constante;
8 – Ossos e dentes muito frágeis ou sensíveis;
9 – Asma e bronquites;
10- Dores lombares;
11- Problemas de zumbido e audição;

O nefrologista Bruno Vieira, destaca os cuidados para com o uso de medicamentos, o que deve ser feito somente com orientação médica e recomenda que às pessoas, que durante consulta médica, informem os medicamentos que tomam porque alguns desses remédios podem apresentar redução na capacidade de filtração dos rins, situação perigosa para que tem problemas renais.

*Fonte: Nefrologista Bruno Henrique Graçaplena Vieira e Sociedade Brasileira de Nefrologia

 

Escreva um comentário

*

Your email address will not be published.

2016 © Todos os direitos reservados

Telefones :        (13) 2102-3434    /    Luto:    (13) 2102-3436