Estudo e emprego terapêutico do sangue na V Jornada de Hematologia e Hemoterapia

043

O estudo do sangue e seu emprego terapêutico foram os temas da V Jornada de Hematologia e Hemoterapia da Sociedade Portuguesa de Beneficência de Santos, na manhã desta quinta-feira (9).

O evento destinado a profissionais e estudantes, lotou o salão nobre da instituição localizada na Av. Bernardino de Campos, 47, na Vila Belmiro e foi aberto pelo presidente Ademir Pestana, que ressaltou a importância da troca de experiência e da atualização sobre o tema que há cinco anos atrai, graças a competência dos palestrantes, grande público como o registrado nessa manhã (122 pessoas sentadas).

Os palestrantes, médicos e enfermeiras da Beneficência, abordaram o trato do sangue como fator essencial para salvar vidas, uma vez que o objetivo da Jornada é estimular a capacidade profissional para a segurança transfusional.

062

Aférese” foi o tema da primeira palestra do evento, apresentada pelo hematologista Marcus Vinicius Porta Nova, responsável pelo Banco de Sangue da Beneficência Portuguesa.

O médico explanou sobre o procedimento de separação dos componentes sanguíneos durante a doação. “Durante o procedimento (aférese) o sangue é retirado do braço do doador, passa por um kit estéril e descartável, instalado em um equipamento separador de células, através de uma centrifugação” esclarecendo que o componente desejado é drenado para uma bolsa de coleta e os demais componentes não utilizados retornam ao doador.

096

Indicadores de Hemocomponentes” – A hematologista Maria Tereza do Nascimento, também do Banco de Sangue da Beneficência Portuguesa falou sobre os principais hemocomponentes: concentrado de hemácias, concentrado de plaquetas e plasma congelado, produtos obtidos após a centrifugação de uma unidade de sangue.

A hematologista explicou que todo sangue é fracionado em componentes, razão pela qual uma doação pode ajudar vários pacientes e falou sobre tabelas e cálculos de acordo com a densidade do sangue total dos hemocomponentes e critérios de utilização de acordo com a situação clínica do paciente.

108

Assistência da Enfermagem nas Intercorrências Transfusionais de Hemocomponentes” foi a palestra seguinte, proferida pela enfermeira hemoterapeuta Regina Dias que fez um histórico da utilização do sangue como fonte de vida desde os primórdios. “Na antiguidade os povos primitivos untavam-se, banhavam-se, bebiam sangue de jovens e corajosos guerreiros na expectativa de adquirir suas qualidades, pois o sangue era conhecido como fluido vital que além de vida proporcionava juventude. Hoje o sangue é transfundido como uma das formas de preservar a vida humana”

Regina enfatizou a responsabilidade dos profissionais que trabalham na área dizendo que “para que vidas sejam salvas através da doação e transfusão de sangue é preciso que ele seja trabalhado de forma correta, com segurança para todos os envolvidos: doador, paciente e profissional”

152

Hemoterapia e os Cuidados com Meio Ambiente” – Encerrando a parte científica do evento, a enfermeira Adriana Marcele Ferreira, da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) da Beneficência falou sobre a necessidade de cumprimento das normas não apenas no trato do sangue, mas também com o descarte do material não aproveitado e de todo o resíduo gerado.

Ao final da palestra, Adriana apresentou um vídeo caseiro, no qual sua filha, de apenas 7 anos, simula ser uma apresentadora de televisão falando sobre a forma correta de descartar o lixo de todo tipo, lembrando que “poluição mata as árvores e consequentemente, diminui a qualidade de vida do planeta”.

(Fotos: SPB)

2016 © Todos os direitos reservados

Telefones :        (13) 2102-3434    /    Luto:    (13) 2102-3436