Na edição de 4 de junho de 1885, o jornal Correio Paulistano, edição de nº 271, publicava em sua primeira página, o valor da tabela de preços para assinantes. Os valores variavam para assinaturas da Capital e Interior.

O jornal fundado em junho de 1854, circulava em São Paulo, com sede na Rua do Ouvidor, 46, era diário, com interrupção apenas nos dias de guarda, ou seja, feriados religiosos. A publicação mantinha colunas fixas destinadas à parte oficial (notícias da presidência) – espaço reservado à publicações da governadoria do Estado, à época denominada presidência – e à Câmara Municipal, e para Polícia e Variedades, além do noticiário geral e classificados (anúncios).

Tabela de preços – pagamento adiantado

Assinantes da Capital:
anuidade 12$000 (doze mil réis)
semestralidade 6$000 (6 mil réis)

Assinantes do interior:
anuidade 16$000
semestralidade 8$000

Para assinantes, os anúncios de até 10 linhas eram gratuitos.

 

Histórico – O Correio Paulistano foi o primeiro jornal diário do Estado de São Paulo e o terceiro do Brasil, foi fundado por Joaquim Roberto de Azevedo Marques, proprietário da Tipografia Imparcial e teve como primeiro redator, Pedro Taques de Almeida Alvim.

Avançado para a época, o jornal nasceu liberal, mas posteriormente foi atrelado ao Partido Conservador e, após a criação do Partido Republicano Paulista (PRP), passou a ser seu órgão oficial, em junho de 1890. Durante o período imperial foi um forte formador de opinião pública; notabilizou-se pela defesa da abolição da escravatura e da causa republicana e mais tarde, apesar de ser dirigido e sustentado por oligarcas tradicionalistas, foi o único, entre os grandes jornais de São Paulo, a apoiar a Semana de Arte Moderna de 1922. O Correio Paulistano se posicionou contra o governo do presidente Getúlio Vargas e foi por ordem dele, fechado de 1930 a 1934 e suas oficinas incorporadas ao patrimônio do Estado. Ressurgiu em 1945, passou por vários proprietários até ser fechado em 1963. O título voltou a circular nos anos 1980, parou, retornando com novos proprietários no período de 2005 a 2007 circulando nas regiões leste e centro de São Paulo.

*Exemplar do Correio Paulistano de 4 de junho de 1885, uma segunda-feira, faz parte do acervo (em fase de organização) da Sociedade Portuguesa de Beneficência de Santos.

2016 © Todos os direitos reservados

Telefones :        (13) 2102-3434    /    Luto:    (13) 2102-3436