A Sociedade Portuguesa de Beneficência de Santos em parceria com a ONG Grupo Esperança, entidade de apoio a portadores de Hepatites da Baixada Santista, realizou na sexta-feira (24), das 9h às 16h, no Ambulatório de Especialidades, a Campanha de Prevenção às Hepatites Virais, com testagem rápida para Hepatite C.

Foram realizados 307 testes para Hepatite C e destes, um resultado positivo para a doença, cuja pessoa portadora recebeu orientação e terá o encaminhamento para atendimento médico especializado na própria Beneficência. Algumas pessoas que participaram da campanha buscaram maiores informações e tiraram dúvidas sobre hepatite (uma inflamação do fígado), como acontece o contágio, quais os sintomas e as formas de prevenção.

Importância – Para o presidente da Sociedade Portuguesa de Beneficência, Ademir Pestana, a realização de campanhas para esclarecer e orientar a população sobre as hepatites virais, bem como outras doenças é de vital importância para a saúde da população brasileira.

 “As campanhas contínuas são importantes porque contribuem para com a saúde pública. A orientação e esclarecimentos que estas ações apresentam têm auxiliado a população porque quanto mais esclarecidas, mais saudáveis se tornam as pessoas”, ressaltou Ademir Pestana, que enquanto vereador santista, é autor da lei municipal nº 1990/2001, a chamada Lei Das hepatites Virais, hoje intitulada “Julho Amarelo”, que prevê campanha para falar sobre os sintomas e tratamento das hepatites virais. Campanha que passou a fazer parte do calendário oficial do município de Santos, a primeira do gênero no Brasil.

Ademir Pestana explica que está em análise, a possibilidade de implantar na Beneficência, uma campanha permanente de prevenção às Hepatites Virais. “Essa, possivelmente, será a forma como a Beneficência Portuguesa contribuirá para a erradicação da doença”

Redução – Jeová Fragoso Pessin, presidente da ONG Grupo Esperança, que trabalhou no desenrolar da campanha disse que a detecção de apenas um caso positivo em meio aos 307 testes realizados para Hepatite C na ação desta sexta-feira, segue a tendência verificada nos últimos anos no país “Apenas um resultado positivo significando 0,33% do total de testes realizados está abaixo da média apontada pelo Ministério da Saúde que é de 0,6% do universo testado. Isso vem acontecendo graças as constantes campanhas de orientação com o objetivo de conscientizar a população.

Erradicação – A expectativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) é erradicar a Hepatite tipo C até 2030, mas até que isso ocorra a prevenção continua sendo a meta imediata visando a redução da incidência. O reforço na campanha contra a doença do tipo C não significa que as dos tipos A e B deixem de ser preocupação, pois prognósticos de especialistas, apontam que até 2030, a Hepatite tipo B deixe de circular.

Lembrando sempre que Hepatite é toda e qualquer inflamação do fígado e que pode resultar desde uma simples alteração laboratorial, até doença fulminante e fatal, toda a população deve ficar atenta aos sintomas, participar das campanhas e principalmente não descuidar da prevenção.

Sintomas – Nem sempre a hepatite viral apresenta sintomas e a do tipo C, na grande maioria dos casos (95%) não apresenta sinais, sendo que às vezes surge febre, mal-estar e dor abdominal passageira, situações que podem ser confundidas com gripe ou distúrbio digestivo, dificultando o diagnóstico. Na fase aguda pode ocorrer amarelamento da pele e urina escura.

Contágio – Hepatite A – através da ingestão de água e alimentos contaminados; contato com urina e fezes contaminadas, banho em águas contaminadas; entre outras formas, através da saliva, no compartilhamento de copos e talheres com pessoas contaminadas e durante o do sexual com parceiro(a) infectado(a).

Hepatite B –  contato com sangue contaminado e derivados, fluídos corporais. Doença Sexualmente Transmissível (DST), é facilitada a transmissão durante o ato sexual com parceiro(a) infectado(a). Transmite da mãe portadora para o filho durante a gestação e amamentação, e ainda no contato com urina e fezes contaminadas.

Hepatite C –  este tipo da doença só é transmitido no contato de sangue com sangue contaminado; embora incomum, a transmissão sexual também é possível.

Prevenção – Tem sido estimulada a vacinação de bebês, crianças e adultos, pois já existem vacinas contra as Hepatites A e B, disponíveis na rede pública de saúde. A imunização da Hepatite A é realizada para crianças até 23 meses de idade e portadores crônicos das Hepatites B e C. Já para a Hepatite B, a vacina é aplicada em três doses, e está disponível para todas as idades.

Com relação a Hepatite C  é preciso muita atenção porque não existe vacina para esse tipo da doença, assim a prevenção é a melhor forma de se precaver, além da preocupação para com cuidados gerais: individualizar o uso de alicates e cortadores de unha, de lâminas de barbear e outros objetos que perfurem ou cortem; levar seus próprios instrumentos ao salão de beleza, barbearia e similares. Cuidados nos procedimentos odontológicos, tatuagens e piercing. Embora não seja considerada DST a transmissão sexual pode ocorrer, o que reforça a orientação geral do uso de preservativos.

 

Escreva um comentário

*

Your email address will not be published.

2016 © Todos os direitos reservados

Telefones :        (13) 2102-3434    /    Luto:    (13) 2102-3436