Mosquito da dengue também se reproduz em água suja

dengue001Na campanha interna desenvolvida pela Beneficência Portuguesa “Beba Água – uma campanha pela saúde”, com informações sobre a importância da água para o corpo humano, com o objetivo de estimular funcionários, pacientes, colaboradores e visitantes a consumir água, lembrando que esse líquido é vital para saúde, beleza e principalmente, sobrevivência, abre parêntese para importante informação do Ministério da Saúde sobre o mosquito da dengue que de acordo com recente pesquisa, também se prolifera em água suja.

A água, elemento essencial para a existência e saúde dos seres vivos, é também fator primordial para o desenvolvimento de algumas doenças, como por exemplo, a Dengue. Se em passado recente acreditávamos que o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue só proliferava em água limpa, uma recente pesquisa realizada pela Superintendência de Controle de Endemias de São Paulo, mostra que o mosquito não se reproduz apenas em água limpa.

O estudo comprovou uma mutação no mosquito que larvas do Aedes aegypti, que até então só se reproduzia em água limpa. Durante o trabalho de campo realizado em São Sebastião, litoral norte de São Paulo, a pesquisadora responsável, Marylene Brito, encontrou mais de trezentos pontos infestados com algum tipo de sal ou produto químico, como resíduos de tinta e restos de óleo, evidenciando que as larvas do mosquito também se desenvolvem em ambientes sujos e até em água salgada.

dengue002“O mosquito está evoluindo. Todas as espécies tentam manter sua população. Se não encontram o ambiente que preferiam antes, acabam se adaptando ao que existe.”, explicou a pesquisadora.

Os resultados apontados pela pesquisa reforçam o apelo do Ministério da Saúde para que a população tome cuidado com qualquer água parada e o alerta à população volta a ser insistente para que não haja trégua ao combate ao Aedes aegypti.

dengue003“O movimento de cuidar da sua casa, de observar se tem caixa d’água destampada, vaso de planta com areia no prato, se tem algum lixo para recolher e que essa pessoa também fale com o vizinho, porque basta que uma casa no quarteirão ter criadouro para que todo o quarteirão esteja em risco, inclusive cobre também do poder público, da prefeitura para que limpe, faça a limpeza, não deixe terreno baldio com lixo”, é o apelo do secretário de Vigilância à Saúde do Ministério, Jarbas Barbosa.

O secretário também alerta para as pessoas com os sintomas febre, dores no corpo e dor de cabeça, procurarem atendimento médico.

A descoberta da pesquisadora Marylene Brito deixou cientistas brasileiros espantados e com essa mutação, cai por terra uma das antigas verdades sobre o mosquito, ELE PROLIFERA EM ÁGUA SUJA E ATE ÉM ÁGUA SALGADA, exigindo maior atenção e cuidados por parte de todos.

Para mais informações sobre prevenção e combate à doença, acesse o site do Ministério da Saúde pelo endereço www.saude.gov.br. (Fonte: Ministério da Saúde)

2016 © Todos os direitos reservados

Telefones :        (13) 2102-3434    /    Luto:    (13) 2102-3436