Na Beneficência Portuguesa, o único aparelho de purificação de sangue para pacientes que não suportam a diálise comum

A Sociedade Portuguesa de Beneficência é a única instituição hospitalar na Baixada Santista a disponibilizar equipamento para a realização de procedimento de purificação do sangue por método contínuo (hemolenta). Trata-se do Prismaflex Gambro, equipamento de última geração cujo fluxo lento é indicado para pacientes em estado de choque que não suportam a diálise comum.

O equipamento;

O equipamento

O equipamento que realiza terapias contínuas é utilizado para dois tipos de terapia: reposição renal contínua e plasmaférese (a troca terapêutica de plasma). Na Beneficência é utilizado para plasmaférese, procedimento realizado para a purificação do plasma liberando-o de auto-anticorpos que estejam causando danos ao organismo.

A plasmaférese, método semelhante à hemodiálise, é capaz de remover toxinas e proteínas indesejadas no plasma sanguíneo que corresponde a 55% do volume de sangue no corpo humano. Ou seja, enquanto na hemodiálise as toxinas acumuladas pela insuficiência renal são removidas; na plasmaférese são removidas as substâncias indesejáveis do plasma.

Enfermeira Regina e a máquina

A enfermeira manipulando o equipamento.

Para Duarte Machado (enfermeiro especialista clínico), representante da Gambro do Brasil Ltda, empresa fornecedora do equipamento, o grande destaque da máquina em funcionamento na Beneficência Portuguesa de Santos, está no seu diferencial com relação à hemodiálise convencional. “Nem todos os pacientes tem condições de suportar uma diálise comum, como por exemplo, pessoas com pressão baixa, infecção generalizada e hipertensão intracraneana, entre outros. Com esse equipamento controla-se o volume de sangue e a velocidade sem que a pressão arterial do paciente caia”.

A enfermeira hemoterapêuta, Regina Moraes Dias, do Banco de Sangue da Beneficência Portuguesa, destaca algumas vantagens desse equipamento para o tratamento de pacientes com doenças imunológicas: “Além do tratamento que limpa o sangue, o equipamento possibilita maior conforto ao paciente, já que é móvel e pode ser levado até o leito, evitando a remoção, especialmente se estiver internado em UTI. A plasmaférese através dessa máquina viabiliza recuperação mais rápida e consequentemente, alta hospitalar mais cedo.”

De acordo com a Gambro do Brasil Ltda, no Brasil existem 350 equipamentos, desses, 130 estão instalados em unidades hospitalares no estado de São Paulo e um deles, é o Prismaflex Gambro em funcionamento na Beneficência Portuguesa, único na Baixada Santista.

* entre as patologias beneficiadas pela plasmaférese estão:
-Púpura Trobocitopênica Trombótica (PTT)
– Trombocitopênicos aloimunes
– Polineuropatia Inflamatório crônica e aguda
– Leucocitose e Trombocitose
– Doença Hemolítica do RN (recém nascido)
– Linfoma de Célula T cutâneo
– Anemia Falciforme
– Púpura pós-transfusional.

2016 © Todos os direitos reservados

Telefones :        (13) 2102-3434    /    Luto:    (13) 2102-3436