Nesta data, 14 de novembro, Dia Mundial e Nacional de Controle e Prevenção ao Diabetes, é importante lembrar o alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS), que uma gota de sangue é suficiente para saber se a pessoa apresenta alguma alteração na taxa de glicemia. Constatando uma alteração considerável, outros exames, mais aprofundados serão necessários.

Ainda de acordo com a OMS, no mundo existe cerca de 400 milhões de pessoas com a doença e metade delas não sabe que convive com ela.

O diabetes é uma doença crônica grave que acontece quando o pâncreas não produz insulina (hormônio produzido pelo pâncreas) suficiente ou quando o corpo não usa eficazmente a insulina que produz, provocando o aumento de açúcar no sangue devido ao mau funcionamento da insulina. Os três tipos de diabetes mais comuns: o diabetes tipo 1, quando a pessoa nasce com a doença – provoca a destruição das células do pâncreas, e atinge entre 5% e 10% dos portadores. O diabetes tipo 2, quando o pâncreas pode até produzir insulina, mas com alguma deficiência ou ela não é aproveitada de forma correta pelo organismo; está ligado à obesidade ou excesso de peso, falta de atividade física e má nutrição. Ocorre em até 95% dos casos e o diabetes gestacional, uma complicação da gravidez que afeta aproximadamente 10% das gestantes; a mulher fica com uma quantidade maior que o normal de açúcar no sangue, situação que quase sempre se normaliza depois que o bebê nasce.

Sinais – Os sinais mais comuns da diabetes, segundo a Organização Mundial da Saúde, são: aumento da fome, cansaço, cicatrização lenta, infecções frequentes, necessidade de urinar com maior frequência, perda de peso, sede excessiva, visão embaçada. Os fatores de risco para desenvolvimento da doença estão relacionados a má alimentação, hipertensão, obesidade, sedentarismo, tabagismo, abuso de álcool, história familiar, antecedentes familiares com diabetes e ainda, fatores desconhecidos.

Prevenção – Órgãos relacionados à saúde afirmam que a prevenção é chave para segurar o avanço da doença que atinge 400 milhões de pessoas no mundo, mais de 60 milhões nas Américas e cerca de 16 milhões no Brasil, ressaltando que o diabetes necessita de cuidados que devem ser seguidos para o resto da vida e o tratamento refere-se basicamente às mudanças de estilo de vida como a prática de exercícios físicos regulares e as mudanças nos hábitos alimentares. Ressaltam ainda, que a maior parte dos casos de diabetes está ligada a fatores comportamentais e estilo de vida, portanto, passível de prevenção.

Se você ainda não fez exame de sangue para saber se é ou não diabetes, não perca tempo. É só uma picadinha no dedo e cerca de 3 minutos de espera pelo resultado. Já diz o ditado: é melhor prevenir que remediar.

 

2016 © Todos os direitos reservados

Telefones :        (13) 2102-3434    /    Luto:    (13) 2102-3436