Voluntário, não basta dizer que é. Precisa ser

Screen Shot 2015-07-08 at 2.04.02 PM“A pessoa que se compromete a realizar um trabalho voluntário deve ter em mente que ela não está naquele local para ser servida e sim para servir”. É com essa frase que a aposentada Deusa Adely Pimentel Pereira Batista, presidente do Grupo de Ação Social Santo Antônio (Gassa) – grupo de voluntárias da Beneficência – define o trabalho voluntário.

Segundo Deusa, quem se torna voluntário assume o compromisso de colaborar para o crescimento da instituição e melhoria de condições daqueles que são atendidos no local. “Se não tiver compromisso e comprometimento com a instituição ou com a causa, não existe a condição de voluntário, pois não basta vestir um uniforme e usar um crachá. Não basta dizer que é voluntário. É preciso ser voluntário, aquele que doa parte de seu tempo à uma causa”.

Deusa pratica o voluntariado há mais de 20 anos, 11 anos dos quais no Gassa, onde, desde que assumiu a presidência no ano passado, de segunda a sexta feira, chega por volta das 6h30, para colocar em ordem a programação do dia, de acordo com o número de voluntárias de plantão. Na sequência, inicia com as companheiras, as tarefas, desde auxílio a pacientes e familiares a atendimento aos mais diferentes setores do hospital. O auxílio das gassianas é diversificado, pode ser apenas uma palavra amiga ao atendimento a algumas necessidades materiais: roupas, fraldas, produtos de higiene, etc…

As gassiana como são chamadas as voluntária da Beneficência Portuguesa, são também responsáveis pelo atendimento aos familiares de pacientes do CTI – Centro de Tratamento intensivo, onde fazem plantão das 7h às 17h. Elas, embora não remuneradas, batem cartão de ponto (entrada e saída do serviço voluntário), e ainda encontram tempo para a confecção de trabalhos manuais que são expostos e vendidos nos dois bazares anuais que realizam: do Dia das Mães e de Natal.

Inscrições abertas – O Gassa, com sede no térreo do Hospital Santo Antônio (Av. Bernardino de Campos, 47), está com inscrições abertas para novos voluntários. Mais informações pelo telefone 2102-3434 Ramal 2136.

Doações – O grupo de voluntárias da Beneficência Portuguesa aceita doações de roupas e calçados masculino e feminino, sendo que no momento a maior carência é de peças masculinas.

2016 © Todos os direitos reservados

Telefones :        (13) 2102-3434    /    Luto:    (13) 2102-3436